PORQUE É IMPORTANTE RESTAURAR UMA OBRA DE ARTE

É fundamental preservar a criação artística já que os artistas que criaram essas obras, querendo ou não, colaboraram com a história e a vida das cidades e países.
Por outro lado existe o sentimento e a satisfação dos que possuem essas obras.
Por isso me sinto feliz em contribuir com a conservação de uma obra de arte, já que assim estarei ajudando os artistas e colecionadores a preservar o patrimônio histórico e cultural.

 

O QUE ACONTECE COM UMA OBRA DE ARTE ATRAVÉS DOS ANOS
Na natureza tudo tem o seu tempo de duração. As obras sofrem agressões climáticas e com isso seu aspecto perde a beleza original que o artista se esmerou em criar buscando representar seu mundo sentimental. Nós temos a obrigação de tentar recuperar dentro do possível o que foi perdido.

 

O QUE ACONTECE COM AS OBRAS EM PAPEL
1 – Fungos – São manchas amarelo ocre que vão se proliferando e se desenvolvem em forma de círculos prejudicando a imagem e alterando o Ph (índice de alcalinidade e acidez do papel).

2 – Manchas de Água – Pela ação direta ou por umidade climática – essa umidade absorve poeira e com isso penetra no papel. É preciso então, os banhos.

3 – Fitas Adesivas – As fitas que são colocadas para fixar uma obra de arte (tipo durex) têm uma cola que com o passar do tempo vai se derretendo, transpassando o papel e manchando o mesmo, o que torna muito difícil a limpeza.

4 – Mofo – Assim como os fungos, o mofo aparece pela umidade com aspecto cinza escuro. É a falta de clareamento.

5 – Rasgos e Furos – São provocados por cupins e traças, sendo que às vezes abrem “caminhos” na folha. Temos que obturar e deixar praticamente imperceptível.

6 – Restauração de Aquarelas – São as mais difíceis. É um processo delicado e complexo, já que a aquarela é técnica da água, mas a amaneira de limpar não tem maiores problemas.

 

RESTAURAÇÃO EM TELAS
Os óleos e os acrílicos sofrem o mesmo processo de agressão. Mas o pior é o craquelê. Isso acontece ou porque o suporte (a tela) não foi preparado de acordo ou porque foi pintado diretamente sem realizar várias de mãos com tinta mais diluída, respeitando o princípio básico da pintura – “o gordo sobre o magro”.

 

Para eliminar o craquelê, parcialmente ou total quando possível, é necessário reiterar a obra no seu verso, com isso o processo da tinta soltando é cessado e não volta a acontecer.